logo Entre Versos e Protestos

vida, meias, reflexão, superação

Já pensou em desistir de tudo? Não, sim?

Pois é eu pensei, eu acreditava que nada seria bom pra mim, me sentia incapaz por não ter uma formação, por não falar inglês fluente, por não ter a mesma condição social de antigos colegas de classe, eu pensei em desistir da vida muitas vezes, inclusive tentei contra a minha própria vida inúmeras vezes, mas como ouvi um dia “NEM PARA SE MATAR PRESTA”, ainda bem!

Por muito tempo culpei tudo e todos, culpei amigos, familiares, lugares, culpei a mim mesmo inclusive... Eu pensei em desistir, porque nada dava certo sabe, as coisas nunca saíam como eu queria, mas daí eu pensei… o que de fato eu queria mesmo?

Um pai, uma mãe? Uma casinha simples talvez? Ou uma tv? Não, talvez um jardim bonito para cuidar com os meus irmãos, ou um namorado, talvez uma melhor amiga que me visitasse com frequência... Queria uma tia que apertasse minhas bochechas e dissesse na frente de todos “já virou mocinha filha?” Ou talvez uma avó que ao me visitar trouxesse meias, é...acho que era isso que eu queria…

Como eu já disse, eu culpei o mundo por não ter tido nada disso, culpei DEUS por não ter me dado nada disso, culpei a mim por não ter conquistado nada disso... Até que um dia aprendi a olhar a vida com bons olhos, esquecer de todas as vezes que fui chamada de “vesga”, “zaroia”, “dramática”, “morta de fome” e tantos outros adjetivos que ouvi ao longo desses meus 25 anos, resolvi esquecer todas as vezes que fui dormir com fome, esquecer de uma vez por todas as duras marcas que em mim ficaram... Por que eu estou contando isso a vocês? Sinceramente não sei... mas como eu disse um pouco acima, aprendi a olhar a vida com outros olhos, e percebi que a vida que eu sonhei sempre existiu, mesmo que com algumas diferenças, ela sempre existiu...

Eu tenho um pai… nos céus, eu tenho uma mãe, que por mera formalidade eu a chamo de tia, eu tenho uma casinha simples e a divido com aquele namorado que eu queria sabe, só que não existe diferenças entre nós, pois somos duas mulheres, eu tenho uma tv que dá acesso até a internet , ah essa tecnologia... Tenho também um jardim chamado vida, pois o que se planta, se colhe, tenho meus irmãos, aqueles que a vida lhe dá de graça sabe, eu os chamo de amigos, por mais pouco que eles sejam eu agradeço, também tenho uma melhor amiga que me visita sempre, chama-se ESPERANÇA, e sobre a vovó? Eu tenho a melhor do mundo, já as meias… hum... ela detesta rs.

Não importa o quão difícil esteja, você é capaz, é só olhar com outros olhos!