logo Entre Versos e Protestos

Papel, caneta, leitura, escrita

O problema hoje é valorizar o que não acrescenta e dispensar o que realmente vale a pena!

Sabe qual sua melhor defesa? A leitura

Sabe qual sua melhor arma? Sua escrita.

O famoso “bater o olho” já lhe é o suficiente não é mesmo? Na certa você não irá ler esse texto até o fim, pois é cansativo... Mas se puder se esforce, vai valer a pena.

Já leu o caderno do seu filho hoje? A letra dele está melhorando não é mesmo? É sempre uma delicia essa fase, o descobrimento e a capacidade de escrever com as próprias mãos.

Já deixou um recadinho na geladeira para seu parceiro (a)? Um EU TE AMO mal escrito? Vai por mim isso sim é verdadeiramente lindo.

Há quanto tempo não escreve ou não lê uma carta? Cartas... A delicia de saber que a pessoa deve ter errado varias vezes, refeito porque a letra não saiu bonita, ou porque o texto não é bom, imagina só saber que a pessoa passou horas ali escrevendo pra você, ou sobre você.

Você ainda faz lista de mercado? Aquele velho papel amassado, sendo ticado ao lado, mostrando que o produto foi encontrado, que delicia... nos sentimos o máximo... o poder da economia nas nossas mãos.

Já leu as noticias hoje? Folheou o jornal? E a revista de fofocas? Não? Nada?

Hipocrisia a minha, escrever um texto na internet para falar da escrita no papel, é tem razão, já não precisamos tanto assim de papel e caneta na mão, não precisamos mais de tanta educação, a terra sem lei chamado internet, garante a minha inteligência, mas não transparece a minha essência, afinal ler é coisa de quem não tem nada pra fazer, e você leu até o fim, deve pensar igual a mim.

O papel e a caneta chegaram ao fim!

Escreva uma carta hoje, curta a letra do seu filho, aproveite cada desenho mal feito, bem feito, aproveite aqueles versos tolos, leia aquelas cartas longas, aproveite, e ser errar escreva de novo... mas aproveite o que hoje parece tão bobo.