logo Entre Versos e Protestos

refugiados, sobreviver, esperança

Eu tive sonho…

Navegava pelo mar até chegar em uma praia com areia branquinha sabe, tão branquinha feito os moradores daquele lugar

Ao pisar na areia vi meus pequenos pés se juntar com aquela nova cor, foi uma mistura de sensações e alívio, já não viveríamos mais no terror…

Atrás de mim um mar de esperança, e em minha frente uma cidade, uma cidade luz!

Eu? Eu era só uma criança que fugia do medo, dos homens, da guerra e da fome.

No meu sonho eram receptivos, nos dariam abrigo, seriam amigos, nas histórias que papai contava as pessoas eram como as fadas, boas, dividiam seus alimentos e seus ensinamentos, no meu sonho eu fui feliz…

Eu vivi a realidade…

Navegava pelo mar em um embarcação clandestina, meu pai teve que escolher entre se entregar ou sua família… Para subirmos naquele navio, papai teve que vender mais do que tinha.

No meio do caminho sirenes eu ouvia, a tanto tempo embaixo daquele barco que nem a luz do dia se via… eu ouvia sirenes, gritos, choros e tiros, minha mãe me prendia em seu colo e me dizia, são fogos meu filhos, fogos de alegria…

Conseguimos chegar na areia, tão linda, tão branca, tão serena, vi minha cor misturada aquela clareza e tive certeza, sim chegamos, de fome não morreremos e da guerra nos livramos…

Eu vivi a realidade…

Os homens brancos chegaram, bem armados, nos conduziam, pra mim em direção a paz, pra eles em direção ao descarte, foi um desastre…

Sentados no chão, com a barriga doendo de fome, vendo minha mãe chorando, e meu pai argumentando com os homens… NÃO QUEREMOS NADA ALEM DE PAZ, nos ajude, olhe para nós, estamos com frio, estamos molhados… Ninguém ouvia…

Papai, o que somos agora? Ele respondeu com os olhos marejados…

- Nós meu filho… Nós somos refugiados…

Refugiado é toda a pessoa que, em razão de fundados temores de perseguição devido à sua raça, religião, nacionalidade, associação a determinado grupo social ou opinião política, encontra-se fora de seu país de origem e que, por causa dos ditos temores, não pode ou não quer regressar ao mesmo, ou devido a grave e generalizada violação de direitos humanos, é obrigado a deixar seu país de nacionalidade para buscar refúgio em outros países.